Concelho de Lamego

SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS

O santuário de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, começou a ser construído em 1750, para ser terminado em 1905, ocupando o monte onde existiu desde o século XIV, uma capela dedicada a Santo Estêvão.

No século XVI, esta capela ameaçava ruína e foi mandada construir uma nova igreja, pelo bispo da cidade, onde foi colocada também a imagem da virgem com o menino ao colo.

Com o tempo, a devoção a Santo Estêvão foi decaindo e cresceu a dedicação à virgem, que era o alvo das preces de quem padecia de males e necessitava de ajuda, dando origem desta forma à devoção à Senhora dos Remédios.
Este santuário, cujas festas principais de realizam nos dias seis a oito de Setembro, tem a fachada do templo com marcas de estilo barroco, é ladeada por torres sineiras, no interior, o altar-mor ostenta a imagem da Nossa Senhora dos Remédios, esculpida em madeira, e três vitrais com as imagens de Nossa Senhora da Conceição, do Sagrado Coração de Jesus e da Anunciação.
Os altares laterais são dedicados aos pais da virgem, as paredes são cobertas por azulejos com imagens da vida da virgem. A escadaria de acesso ao santuário, com 686 degraus, tem vários patamares onde se encontram os reis de Israel, e na base da escadaria, quatro figuras representam as quatro estações do ano.

IGREJA DE SANTA MARIA DE ALMACAVE

A igreja românica foi construída ainda na primeira metade do século XII, estando documentada em 1145. Infelizmente, pouco mais se sabe acerca desta primeira fase construtiva, uma vez que, algum tempo depois, o monumento foi integralmente refeito. Muito modificada nos séculos XVI a XVIII, altura em que se abriu a capela do Santíssimo Sacramento, se realizaram as máquinas de talha dourada e se deu corpo ao coro-alto, a igreja mantém-se como um notável testemunho da excepcionalidade do Românico da zona de Lamego.

É um edifício de planta longitudinal, composto por nave única e capela-mor, tendo adossada ao corpo, pelo lado direito, uma torre sineira de secção quadrangular, edificada muito depois.