Concelho de Chaves

PONTE ROMANA DE CHAVES

A ponte romana sobre o Rio Tâmega é o legado mais importante do império a “Aquae Flaviae”.
Foi concluída no tempo do Imperador Trajano, entre o fim do século I e o princípio do século II d.C. É uma obra notável de engenharia, com cerca de 150 metros de comprimento. Os 12 arcos visíveis são de volta perfeita e formados por enormes e robustas aduelas de granito. No entanto, há pelo menos mais seis arcos soterrados pelas construções, de um lado e do outro do rio. A meio da ponte estão implantados dois documentos epigráficos de carácter honorífico em tributo das gentes flavienses e dos dez povos que ajudaram na sua construção. Esta ponte é o mais característico ex-libris de Chaves.
Cumpriu a função de acesso principal à cidade pelo bairro da Madalena até à década de 50 do século XX, altura em que foi inaugurada a ponte Eng.º Barbosa Carmona.
Atualmente encontra-se encerrada ao trânsito funcionando apenas como ponte pedonal.

TERMAS ROMANAS DE CHAVES

Na área agora escavada (28 x 30 m) foi descoberta uma piscina De grandes dimensões (13,22 x 7,98 m) com seis degraus no seu topo Norte a que designámos piscina; uma outra apenas parcialmente escavada mas da qual um dos lados deverá ter cerca de 8 m., com seis degraus a toda a volta (piscina B); um tanque pequeno, para banhos individuais, cujo acesso se fazia através da berma da piscina A por degraus que numa segunda fase terão sido tapados e cuja cobertura teria sido originalmente uma pequena abóbada de canhão, posteriormente substituída por um telhado de tegulae e imbrex (telhas planas e de meia cana); uma sala com pavimento em opus signinum (argamassa impermeável) e ralo para escoamento de águas e um complexo sistema de condutas de entrada e saída das águas que ainda correm com uma elevada temperatura e um caudal considerável.

TORRE DE MENAGEM DO CASTELO DE CHAVES

Chaves entrou na órbita cristã medieval em finais do século IX, altura em que um enigmático Conde Odoário, ao serviço dos reis asturianos, presuriou a antiga Aquae Flaviae. Esta é uma das escassas referências alti-medievais para o atual território de Trás-os-Montes, depreendendo-se, ainda assim, que a integração da região nos domínios da coroa asturiano-leonesa foi uma preocupação dos monarcas.
Desconhece-se a configuração desse primeiro recinto, mas é de supor que se tratasse de uma estrutura pouco mais que rudimentar, possivelmente uma simples torre quadrangular de escassa altura. Certo é que, nos séculos seguintes, o castelo desempenhou um papel importante na organização e na defesa do reino de Portugal.
Em 1093, a vila é incluída no dote de casamento de D. Teresa com o conde D. Henrique.

HOTEL PALACE DE VIDAGO

Inaugurado em 1910, o Vidago Palace foi criado para proporcionar à sua distinta clientela quartos e facilidades dignos da realeza. Um século mais tarde, após uma profunda restauração e renovação, o recentemente redecorado Vidago Palace convida o viajante de hoje a deixar-se cativar pelo seu charme da Belle Epoque, pelo seu campo de golfe profissional, pelo seu spa moderno e serviços de hotel de 5 estrelas.
Envolto em beleza natural, o Vidago Palace é um requintado hotel de luxo em Portugal, o local perfeito para casamentos e eventos, pertencendo, com orgulho, aos Leading Hotels of the World.
Considerado um dos mais famosos hotéis históricos de luxo em Portugal, o Vidago Palace é imponente mas convidativo, conjugando a grandeza de um palácio com o ambiente acolhedor de uma casa de campo.
Tel : (351) 276 990 920 – Fax : (351) 276 990 912 – reservations@vidagopalace.com